Uma Igreja Viva para o Deus Vivo

Culto do dia

  • Sociedade Feminina Missionária, Quinta às 14:00
7.02.2018

XI Encontro de Mulheres: Restaurando a Alegria

Estamos vivendo um tempo em que muitos, mulheres e homens, estão perdendo a alegria de viver, haja vista os altos índices de depressão, transtorno de ansiedade, síndrome do pânico e até mesmo as ideações suicidas, pelas quais alguns chegam a concretizar.

São várias as razões pelas quais as pessoas perdem a alegria de viver: decepções, traições, frustrações por sonhos não concretizados, perdas por rompimentos ou por mortes, enfim, não existe mais o ânimo para continuar a jornada da vida, e a tristeza e o desânimo vêm tomar conta da alma (coração). Sabemos que vivemos nesse mundo e estamos sujeitos a dores e aflições.  Jesus nos disse que Nele temos paz, e nesse mundo teríamos aflições, mas que tivéssemos bom ânimo (Jo. 16:33).

No último dia 2-12-17, realizamos o nosso XI Encontro de Mulheres, com o propósito de resgatar a alegria de tantas mulheres que estão sem forças, e que perderam a alegria que Jesus pode nos dar, mesmo em meio a situações difíceis.

Nossa convidada Ana Nobrega foi graciosamente usada por Deus através dos seus louvores e de sua palavra sobre a rainha Ester. Referências a Deus são inexistentes no livro de Ester, e olhando superficialmente, Ele parecia estar ausente nesta situação desagradável em que a rainha e seu povo se encontrava. No entanto, Ester se apegou a sua confiança no caráter e na soberania de Deus, orou, jejuou, enquanto o Senhor lhe dava sabedoria em como agir frente àquela situação. Deus usou a condição de rainha, para Ester proteger os judeus de um inimigo que ameaçaria sua existência, restaurando a alegria do seu povo. Em tudo, Ele tinha um propósito.

Muitas mulheres passam a vida sentindo que não são boas o bastante. Temos a tendência de nos apegar as falhas de nossa aparência e as habilidades e dons que não temos. Ester, teve medo, e por isso, convocou um jejum para que Deus lhe desse uma estratégia, pois sua vida e de seu povo corriam perigo. Após a vitória, todo o povo se alegrou.

Por vezes, pensamos que o nosso caso não tem solução, não tem nenhuma perspectiva, mas precisamos nos apropriar de nossa condição de filha do Rei, de amada do Pai, o Senhor colocou cada uma de nós numa posição privilegiada para que façamos a diferença onde estivermos.

Talvez não façamos história para uma nação, como Ester fez, e até os dias de hoje em Israel é celebrado, na Festa do Purim, porém, podemos fazer história de salvação e livramento em nossa casa, em nosso trabalho, em nossa igreja. Nossas palavras de encorajamento, podem ser as únicas que um estranho ouvirá. Nosso sorriso e abraço pode ser o único que alguém pode ver e sentir. Precisamos encontrar o nosso sentido de vida e o propósito pelo qual Ele nos fez, para que assim possamos nos alegrar nele.

Se alegre nele minha querida, enquanto as coisas as quais você espera não chega, coloque no Senhor sua esperança, sua fé, sua alegria.

Texto: Andrea Klawa

Líder: Pr. Paulo Klawa